Capacitação de Membros e Servidores

Hoje, o mundo se prepara para acompanhar os sistemas computacionais nas suas últimas versões, inovações, aplicações e sofisticações lançadas quase mensalmente. A introdução dessas novas tecnologias requer pessoal habilitado para o seu manejo. Consciente dessa responsabilidade, o Nucciber vem propor capacitação para os membros e servidores.

A criminalidade cibernética vem sendo estudada, pesquisada e descrita ao longo de alguns anos no Brasil. As facilidades encontradas no mundo virtual para a obtenção de produtos, serviços e conhecimentos em geral, estabelecem, ao mesmo tempo, comodidade e perigo às pessoas. As falsas relações de consumo acompanhadas por rotineiras e intensas operações bancárias com livre circulação informações pessoais, por exemplo, ajudam na captura desses dados. Novos tipos penais informáticos específicos foram criados com a Lei 12.737, de 30 de novembro de 2012, prevendo condutas até então inexistentes anos atrás.

O mau uso das novas tecnologias para o cometimento de delitos virtuais acontece numa velocidade capaz de desafiar as normas legais vigentes e os profissionais que as aplicam no combate às ilegalidades.

Estabelecer procedimentos básicos de coleta, preservação da integridade dos dados, análise das provas e a identificação dos autores, são itens que precisam ser discutidos em manuais técnico-jurídicos, a fim de que auxiliem os operadores do Direito. A efetividade da aplicação da legislação em relação a esses crimes depende muito da obtenção de conhecimentos agregados sobre o universo da informática e áreas afins, com intuito de prover maior rapidez processual e a efetiva repressão aos delitos eletrônicos.

Da mesma forma, estabelecer fluxos de rotina operacional nas Promotorias de Execução, alinhando a atuação, fortalecerá a atuação integrada institucional.